segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

VIOLÊNCIA NO RIO DE JANEIRO

A charge de Renato Machado, publicada na coluna "Extra, Extra!",do Jornal EXTRA de domingo (30JAN2011)fala por si só. Embora dispense comentários, não posso me olvidar de expressar meu sentimento de impotência ante o que se passa no Estado do Rio de Janeiro... a violência cresce assustadoramente a cada segundo, manifestando-se em suas diferentes formas e a mais perversa delas é, sem dúvida, sermos tratados como imbecis, como alienados dos fatos que nos cercam, tanto pelas autoridades como pelo processo midiático que refere dados estatísticos divergentes do que experimentamos no cotidiano. Renato Machado foi incrível ao nos proporcionar a reflexão sobre a realidade factual, o tamanho do mostro que nos persegue em cada beco, em cada esquina, em cada shopping...



domingo, 30 de janeiro de 2011

MEMÓRIAS DE UM PASSADO RECENTE

(...) as emoções são como cavalos selvagens: precisam de liberdade para viverem em plenitude!

sábado, 29 de janeiro de 2011

Declaração de Amor

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

ANIVERSÁRIO DA CAROLINE

sábado, 15 de janeiro de 2011

CRISTIANE FELICIDADES.wmv

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Contos na areia

Hoje chorei por momentos não vividos, por tudo que foi interrompido sem mesmo ter a chance de lutar pelo que sentia dentro de mim. A saudade do mar, da pedra que testemunhou os sonhos que tracei, mas eles eram quase impossíveis, pois as portas do fantástico, das fantasias foram fechadas pela sordidez de uma sociedade hipócrita. Mas a linha entre o normal e a loucura é tênue e não podemos julgar. Só posso te garantir hoje e sempre que ainda amo de amor... um amor puro, um amor que mantém acesa a chama da esperança de um dia poder reencontrar novamente o brilho nos olhos se cruzando e aceitando que almas que se completavam e agora despedaçadas precisam mais uma vez viverem plenamente as delícias da vida. Estou assim... sou assim... não posso arrancar de mim um sentimento que deu sentido a minha vida!
Continuarei escrevendo na areia... para apaziguar a dor da ausência! Queria dizer tanta coisa, mas agora me retiro preciso chorar...

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

CONHECEREIS A VERDADE...



Olhei fixamente o mar, o corte da sua imensidão me fez voltar no tempo e lembrar a noite no shock-room... É... a noite também infinita, com a morte a espreita daqueles miseráveis que você levara e com seu ar superior determinara a sentença: A MORTE...

Deita-se aqui para parecer o infinito, mas na verdade você é meramente a incógnita, onde o zero à esquerda vale tanto ou igual ao que você se desenha para mim... você é ninguém, é alma despedaçada, sem vínculos, sem afetos, um sem ninguém tal qual àqueles que você negava... Tão ninguém que não percebera que um dia a grandeza do mar me faria enxergar claramente quem se escondia nos becos, nas vielas, na sarjeta infinita dos pobres diabos sem chance de vida, sem chance de nada... excluídos por você e pelos que te seguiam na prepotência da mais-valia da cor de suas vestes...

Mas, para mim, você é menos, você merece ser o que é em seus delírios, você é NADA, você é NINGUÉM...

Pois, nos seus olhos não vi honra, vi insanidade.